Conheço e quero adotar uma criança que está em uma instituição. Posso?

É importante ressaltar que nem todas as crianças que estão em Instituição de acolhimento foram abandonadas por sua família e estão disponíveis para adoção. Muitas ainda recebem a visita de seus familiares, tem chances de voltar para casa e desejam isso.

 

As instituições de acolhimento são na verdade “casa de passagem”, as crianças e adolescentes que lá estão foram afastadas temporariamente de seus familiares, por ordem judicial, por negligencias ou violências praticadas por eles.

 

Após uma decisão judicial as crianças vítimas de negligencia ou violência são afastadas de seus familiares e encaminhadas a estas instituições. A partir de então, uma equipe multidisciplinar, formada por assistentes sociais, psicólogos, agente se saúde, monitoradas e acompanhadas pelo Ministério Público e a Vara da Infância e Juventude, iniciam um trabalho de recuperação e reinserção da família de origem na sociedade para que possam receber estas crianças de volta em seus lares.

 

Infelizmente, algumas vezes, o trabalho desenvolvido pela equipe multidisciplinar não alcança o resultado desejado o que torna impossível o retorno destas crianças a sua família e lares. Neste caso, a criança continua no abrigo e entra para o cadastro de adoção da Vara da Infância e Juventude.

 

Portanto, se você tem intenção de adotar uma criança ou adolescente, precisa ir a Vara da Infância e Juventude para conhecer sua real situação e saber se ela está disponível para ser adotada ou se ainda existe a possibilidade dela retornar à sua família de origem.

 

No caso de adoção de criança especifica, estando ela disponível para adoção e havendo vínculos afetivos fortes, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) permite que a guarda seja deferida, excepcionalmente, fora dos casos de adoção para atender a situações peculiares ou suprir a falta eventual dos pais ou responsável. Esta situação é possível, pois a guarda de uma criança deve atender principalmente a seus interesses e necessidades. Assim, havendo fortes vínculos afetivos entre os pretendentes e a criança a adoção poderá ocorrer.

 

As crianças maiores, adolescentes, grupo de irmãos ou crianças com problemas de saúde tem poucas chances de serem adotados, havendo um candidato a adota-las o procedimento da adoção pode ser mais rápido.

Please reload

Recentes

June 2, 2020

January 23, 2020

Please reload

Arquivo

Please reload

Siga no Facebook

  • Grey Facebook Icon

©2016 por De Camargo & Amaral.